Este website utiliza cookies que facilitam a navegação, o registo e a recolha de dados estatísticos.
A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pelo nosso websiteAo navegar com os cookies ativos consente a sua utilização.

Pensar na roupa que vai vestir, organizar-se para chegar 5 minutos antes da hora e cumprimentar toda gente com um sorriso é importante. Mas não vai chegar para obter o lugar.

Arrumar ideias

Preparar-se para uma entrevista de emprego quer dizer, antes de mais, clarificar: que leitura faço das experiências profissionais que tive, que objetivos tenho para os próximos anos, o que é que valorizo na minha vida profissional e pessoal.

A preparação da entrevista é sobretudo uma autoanálise. Não tanto pensar o que eu “quero dizer” e muito mais “como é que eu realmente vejo” o que fiz, as minhas prioridades, os meus valores.

PERGUNTAS A COLOCAR-SE A SI PRÓPRIO
SOBRE CADA SITUAÇÃO PROFISSIONAL PASSADA SOBRE O PRESENTE E O FUTURO
  • Quais eram os desafios da função?
  • Que trunfos pessoais joguei para atingir os objetivos?
  • Quais foram os meus contributos para o sucesso da equipa?
  • Que competências me foram uteis?
  • O que consegui?
  • O que aprendi?

 

  • Quais são as minhas prioridades? O que é mais importante para mim neste momento?
  • Que contributos tenho para dar a uma equipa?
  • Quais são as tarefas em que me sinto mais seguro?
  • Em que sentido quero evoluir em termos profissionais?
  • O que quero conseguir?

 

Focar-me em factos

Sobre as experiências passadas importa ter claros os factos: números, responsabilidades assumidas, resultados obtidos, feedback recebido de colegas, chefias, parceiros. Mais do que “eu sou” importa na entrevista realçar o “eu fiz”.

E quando as experiências passadas não foram um sucesso? Devo fazer uma análise objetiva: “o alvo era vender 100. Eu vendi 70.”e mais do que tudo importa fazer uma análise pró-ativa: excluir justificações ou acusações de terceiros e referir o que fará diferente no futuro em situação semelhante.

E quando estamos em início de carreira e temos poucos resultados demonstrados? Vamos buscar a nossa experiência pessoal enquanto estudantes, desportistas, músicos ou vizinhos: desafios, obstáculos, trunfos pessoais, contributos pessoais em contexto de equipa.

Ter objetivos

A capacidade de ter uma visão estratégica sobre a nossa vida e a nossa situação profissional vai fazer a diferença: prepare-se para responder à pergunta: o que é mais importante para si em termos profissionais?

E se não lhe perguntarem, prepare-se para passar a ideia, enquadrada no resumo que vai de certeza ser convidado a fazer da suas experiências profissionais anteriores.

Antes da entrevista importa que tenha claras as suas prioridades em termos de desenvolvimento pessoal profissional: o que quer demonstrar, conseguir, partilhar com uma equipa, aprender, superar?

Perguntar para perceber…. E adaptar-se

Seja curioso sobre desafios, estratégia, objetivos da empresa. As suas perguntas devem focar-se no que lhe permite perceber a lógica da organização. Assim poderá também adaptar a sua forma de falar de si, optar por fornecer informação mais pertinente no contexto da entrevista e deixar em segundo plano o que lhe parecer menos pertinente para o lugar e a empresa que tem à sua frente.

Como falar do salário?

A regra é deixar que o entrevistador proponha. Se lhe perguntarem qual é a sua ideia em termos de remuneração, JAMAIS responda com um número. Se quiser fixar claramente limites, refira valores que auferia em funções anteriores, e/ou as condições (localização geográfica poe exemplo) que podem ser para si relevantes na ponderação em relação ao valor que lhe será proposto.

 

Ana Cristina Neto Ana Cristina Neto